terça-feira, 27 de abril de 2010

... como nas fotos das feições de lutadores no interregno entre um assalto e outro.

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Sobre Twitter e censura

Boa Vista - Meio mundo agitado com o governador-ditador-que-processa-tuiteiro em Roraima. Mas abusam da raiva e pagam o pato. Tudo sonho de Vishnu. Confundem emoções com fatos. Por isso fé e ciência são incompatíveis. No dia em que a imprensa local tiver coragem de ouvir o outro lado, sem fingir que "procurou fulano", mas não encontrou, começaremos novo ciclo. 

Sim, qualquer jornalista fica indignado com a mordaça. Mas Twitter é uma REDE SOCIAL. Jornalismo se faz em jornal e até em blogs. Há um longo caminho até a maturidade da imprensa local, mas deve-se começar percebendo essas diferenças e principalmente seus defeitos. Se você acredita que está fazendo jornalismo no Twitter, com a imponderável superficialidade de 140 caracteres, por favor não me siga.

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Um poema

Ghost Song
(Jim Morrison)



Awake.
Shake dreams from your hair
My pretty child, my sweet one.
Choose the day and choose the sign of your day
The day's divinity
First thing you see.

A vast radiant beach and cooled jeweled moon
Couples naked race down by it's quiet side
And we laugh like soft, mad children
Smug in the wooly cotton brains of infancy
The music and voices are all around us.

Choose they croon the Ancient Ones
The time has come again
Choose now, they croon
Beneath the moon
Beside an ancient lake

Enter again the sweet forest
Enter the hot dream
Come with us
Everything is broken up and dances.

Indians scattered,
On dawn's highway bleeding
Ghosts crowd the young child’s,
Fragile eggshell mind

We have assembled inside,
This ancient and insane theater
To propagate our lust for our life,
And flee the swarming wisdom of the streets.

The barns have stormed
The windows kept,
And only one of all the rest
To dance and save us
From the divine mockery of words,
Music inflames temperament.

Ooh great creator of being
Grant us one more hour,
To perform our art
And perfect our lives.

We need great golden copulations,

When the true kings murders
Are allowed to roam free,
A thousand magicians arise in the land
Where are the feast we are promised?

One more thing

Thank you oh lord
For the white blind light
Thank you oh lord
For the white blind light

A city rises from the sea
I had a splitting headache
From which the future's made

terça-feira, 13 de abril de 2010

Um poema

Receita para arrancar poemas presos
(Viviane Mosé)

Você pode arrancar poemas com pinças buchas vegetais óleos medicinais
com as pontas dos dedos com as unhas com banhos de imersão com o pente
com uma agulha com pomada basilicão alicate de cutículas massagens e hidratação  

Mas não use bisturi nunca
em caso de poemas difíceis use a dança
a dança é uma forma de amolecer os poemas 
endurecidos do corpo. uma forma de soltá-los das dobras dos dedos dos pés.
das vértebras dos punhos. das axilas. do quadril
   
São os poema cóccix.
Os poema virilha.
Os poema olho.
Os poema peito.
Os poema sexo.
Os poema cílio.

segunda-feira, 5 de abril de 2010

140

Crie um nickname
abra uma account
insira seu e-mail
escolha a mesma password
publique o que você está fazendo
depois o que está pensando
depois o que faria,
se agisse depois de pensar
querem a urgência do discurs
um incriminador duplipensar

“As grandes descobertas ocorrem quando subitamente o possível encontra o desesperadamente necessário.” (Thomas Friedman - New York Times...