quarta-feira, 29 de junho de 2005

Górgonas

Divinópolis - Medusa, Esteno e Euríale, as irmãs Górgonas, um dia foram jovens, belas e promíscuas, mas pelo poder de Atena tornaram-se monstros repugnantes, com o corpo coberto por escamas douradas e cobras no lugar dos cabelos. Asas e faces horrendas, suas línguas pendiam para fora entre os dentes de javali e seus guinchos podiam ser ouvidos de longe. Inimigas da ética, da beleza, da inteligência e da filosofia, durante séculos as Górgonas petrificaram heróis e humanos. Para derrotá-las, somente fazendo com que se olhem no espelho. Nenhuma Górgona sobrevive ao enxergar-se como realmente é.

segunda-feira, 27 de junho de 2005

Notas políticas

Divinópolis - A imprensa brasileira está numa luta inglória para provar duas coisas: que a corrupção nas estatais é um fenônomemo recente, uma criação do Partido dos Trabalhadores e que o mensalão, a mais antiga forma de previdência privada de parlamentares desde o Brasil-Colônia é invenção da tesouraria do PT e de um lobista. Não basta ser sibilino como revista semanal ou corrupto assumido como o deputado Roberto Jefferson para perceber a carga de maniqueismo com que o tema é tratado.

A verdade é que todos sabiam - dos adversarios do PT ao militante mais fiel - que abrir o partido a certas figuras acabaria com a aura de seriedade, de postura ética irrepreensível que o PT costumava ostentar. Para garantir a vitória de Lula, o PT abrigou em suas hostes gente de passado comprometido por todas as regiões do Brasil. Mudando o paradigma, o petismo passou a ser isso: um movimento à esquerda de quem sempre foi autoritário ou corrupto e um movimento à direita do partido que representava os ideais socialistas do Século 20. Como resultado, a explosão de denúncias em que existem mais culpados que inocentes. De réus confessos a acusados indignados, a impressão é de que o PT mergulhou em águas turvas - como já fazia boa parte da política brasileira - e a lama do fundo é movediça.

quinta-feira, 23 de junho de 2005

Comunicação

Divinópolis - Dentre todas as falhas imperdoáveis em comunicação (seja em assessoria, jornal, agência, docência, televisão ou banco de escola), a falta de provas e as incorreções, nesta ordem, são as mais significativas.

No primeiro caso, a intersecção perigosa entre o que se obtém de uma única fonte e o que pode ser comprovado desfaz qualquer trabalho sério. A fronteira entre fato e versão pode custar a reputação de qualquer veículo.

Enquanto os erros na grafia (e por grafia entenda-se topo tipo de publicação, do jornal impresso ao hipertexto, das legendas cinematográficas à diagramação) comprometem a qualidade do trabalho, a desinformação destrói credibilidades, maior patrimônio do setor.

Equipes informes, com diferentes níveis de talento, comprometem a qualidade e andam à margem do amadorismo. Quer ver sua empresa vendendo, seu jornal ganhando crédito, sua publicidade levada a sério, sua festa bombando? contrate um profissional de comunicação.

quarta-feira, 22 de junho de 2005

Uma canção

Todo Se Transforma
(Jorge Drexler)

Tu beso se hizo calor,
Luego el calor, movimiento,
Luego gota de sudor
Que se hizo vapor, luego viento
Que en un rincón de la rioja
Movió el aspa de un molino
Mientras se pisaba el vino
Que bebió tu boca roja.

Tu boca roja en la mía,
La copa que gira en mi mano,
Y mientras el vino caía
Supe que de algún lejano
Rincón de otra galaxia,
El amor que me darías,
Transformado, volvería
Un día a darte las gracias.

Cada uno da lo que recibe
Y luego recibe lo que da,
Nada es más simple,
No hay otra norma:
Nada se pierde,
Todo se transforma.

El vino que pagué yo,
Con aquel euro italiano
Que había estado en un vagón
Antes de estar en mi mano,
Y antes de eso en torino,
Y antes de torino, en prato,
Donde hicieron mi zapato
Sobre el que caería el vino.

Zapato que en unas horas
Buscaré bajo tu cama
Con las luces de la aurora,
Junto a tus sandalias planas
Que compraste aquella vez
En salvador de bahía,
Donde a otro diste el amor
Que hoy yo te devolvería

Cada uno da lo que recibe
Y luego recibe lo que da,
Nada es más simple,
No hay otra norma:
Nada se pierde,
Todo se transforma.

quinta-feira, 16 de junho de 2005

Piadas infames sem fio

- Quando ele se foi... me senti completamente wi-fi, disse a viúva.
- Ei, garota, vê se larga do meu pé. Eu sou wi-fi.
- Antes de morrer, pediu ao barman um wi-fi.
- Wi-fi e wai-fai eram tweeters que invejavam woofers, mas nunca eram levados a sério.
- Wii-fii!! , assobiou o menino para a morena na calçada.

Enquanto isso, no interior de Minas gerais:
- Aqui se faz pão de queijo?
- Uai, fai.

Divinópolis, Junho de 2005

segunda-feira, 13 de junho de 2005

Mondo Pop

Divinópolis - Michael Jackson foi inocentado das 10 acusações de crimes que iam da narcotização de menores até abuso sexual. Assim como Roberto Jefferson, os acusadores careciam de provas. Depois dessa, Jacko deve deixar Neverland e ir morar no Camboja. Ops.

O Pink Floyd vai tocar no Hyde Park de Londres no mês que vem com a seguinte formação : David Gilmour (voz e guitarra), Nick Mason (bateria), Rick Wright (teclados) e Roger Waters (baixo e voz). A proeza é do Bob Geldof. Li primeiro no Leãdro, depois aqui e aqui. Notícia melhor, só se for sobre turnê mundial incluindo o Brasil.

quinta-feira, 9 de junho de 2005

Sobre a pesquisa científica no Brasil

Por que Deus nunca será professor titular ou pesquisador do CNPq ou da CAPES

1. Só tem uma publicação;
2. Esta publicação não foi escrita em inglês e sim em hebraico (mesmo que tenha sido traduzida para vários idiomas);
3. A referida publicação não contém referências bibliográficas;
4. Não tem publicações em revistas indexadas, ou com comissão editorial, ou ainda com pareceristas;
5. Há quem duvide que sua publicação tenha sido escrita por ele mesmo. Em um exame rápido, se nota a mão de, pelo menos, 11 colaboradores;
6. Talvez tenha criado o mundo. Mas o que tem feito, ou publicado, desde então?


Leia mais no Leãdro Wojak.

terça-feira, 7 de junho de 2005

I feel a little more blue than then

I feel a little more blue than then
I feel a little more blue than then
I feel a little more blue than then
I feel a little more blue than then

Satanistas são clientes insatisfeitos.