segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Boa Vista - A discussão sobre se é esporte ou não subsistirá algum tempo, até que se reconheça o óbvio: triturar seres humanos é pouco edificante. O que mais intriga, entretanto, é como este novo produto das organizações Globo se assenhora da identidade nacional da mesma forma que as telenovelas e o catálogo da Som Livre. Um poder absoluto.

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

O ideário da direita é todo pescado da esquerda, menos a parte de legitimar a democracia e a liberdade individual. A capacidade de ser uma esponja tardia dos desejos da sociedade faz da direita e sua moral auto-reprimida um organismo que busca sobretudo a própria sobrevivência: capitalismo e repressão como alimento físico e a planificação do pensamento como bússola espiritual. No Brasil, assistimos com indiferença e preconceito José Mujica e outros líderes latino-americanos enfrentar com coragem o monstro dos oleodutos e limusines. Embora não estejam sozinhos: representam pequenas nações e grandes pensamentos inaceitáveis para o padrão estabelecido.
José Mujica, presidente do Uruguay
Boa Vista - O ideário da direita é todo pescado da esquerda, menos a parte de legitimar a democracia e a liberdade individual. A capacidade de ser uma esponja tardia dos desejos da sociedade faz da direita e sua moral auto-reprimida um organismo que busca sobretudo a própria sobrevivência: capitalismo e repressão como alimento físico e a planificação do pensamento como bússola espiritual. No Brasil, assistimos com indiferença e preconceito José Mujica e outros líderes latino-americanos enfrentar com coragem o monstro dos oleodutos e limusines. Mas eles não estão sozinhos. Representam pequenas nações e pensamentos universais inaceitáveis para o padrão estabelecido. Se fossem de direita, suas ideias seriam louvadas pela mídia e compreendidas pelo "cordial" cidadão brasileiro. 

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Rafael Correa, presidente do Equador
Boa Vista - Sou de família transnacional e torço pela integração latino-americana. Nosso continente já foi vítima do extremismo dos colonizadores e não precisamos fazer o mesmo entre nós. Nossa diversidade étnica, política, mística e antropológica é rica demais para ficarmos presos ao debate polarizado esquerda-direita que as grandes potências criaram para nos fazer perder tempo. O capitalismo é uma ilusão autofágica. Faz pensar que sua hegemonia é definitiva e que não há limites para o crescimento, promovendo a barbárie em nome de um pseudoliberalismo. Vejo como um projeto fadado ao esgotamento, ao fracasso e à desmoralização, pois a História é implacável com as civilizações estúpidas. Mas esta é apenas minha opinião. O socialismo venezuelano é um experimento. O socialismo chinês, um arremedo. Sabem onde vejo socialismo? Finlândia, onde a educação é integralmente pública. Enfim, nada é estanque ou perfeito. Nenhum conhecimento é permanente e nenhum império se perpetua. Apenas a estupidez humana de querer um mundo melhor sem esforço.

domingo, 15 de dezembro de 2013

Manaus - O professor é o maior inimigo do poder. Mas alguns professores desconhecem seu verdadeiro poder: conceder à humanidade a liberdade que são incapazes de buscar.

sábado, 14 de dezembro de 2013

Palavras do mestre

Milton Santos, grande homem. O presidente que nunca tivemos. Tive a sorte de ver uma de suas últimas palestras na FFLCH-USP.
Manaus - Tento compatibilizar o curso de Formação Sindical do Andes com a leitura de Milton Santos.

O terrível é que, nesse mundo de hoje, aumenta o número de letrados e diminui o de intelectuais. Não é este um dos dramas atuais da sociedade brasileira? Tais letrados, equivocadamente assimilados aos intelectuais, ou não pensam para encontrar a verdade, ou, encontrando a verdade, não a dizem. Nesse caso, não se podem encontrar com o futuro, renegando a função principal da intelectualidade, isto é, o casamento permanente com o porvir, por meio da busca incansada da verdade.
(Milton Santos. Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. p. 74)

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Nelson Mandela
Manaus - Defensores de direitos humanos em todo o mundo choram por Mandela, mas só quem foi jogado à margem da vida social ou pertencia à etnia dominante e não podia dizer nada, sabe o que significa seu legado.

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

O governo da Guiana planeja instalar uma barragem em terras do povo Akawaio, no Alto Mazaruni. A hidrelétrica poderá ter um super lago que inundaria a terra ancestral dos Akawaio e uma aldeia Arekuna, impactando severamente a biodiversidade. A Survival International denuncia que empresas brasileiras envolvidas na represa de Belo Monte, construirão a barragem, que forneceria energia para as indústrias de mineração da Guiana e do Brasil. Leia aqui

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

A Prefeitura encaminhou e a Câmara Municipal de Boa Vista aprovou a criação de dezenas de cargos comissionados para contratar engenheiros sem concurso público. O salário será de R$ 7 mil contra os R$ 1,5 mil dos concursados. Já o governo de Roraima, aumentou o salário dos engenheiros em 35% contra 4,5% dos demais servidores. Como são engenhosos nossos representantes.

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Observo nossos representantes e vejo exploradores da miséria, cínicos e paus-mandados. Gente que domina os meios de comunicação e mantém a população refém de discursos vazios e falsa propaganda. Que comanda órgãos ambientais para facilitar o desmatamento e de pesquisa para não pesquisar nada. Que aprova projetos absurdos e perigosos como o plantio de espécies exóticas (Acacia mangium) e cana-de-açúcar, para jogar o ultra-poluente vinhoto em nossos rios. Que pretende acabar com as corredeiras do Bem-Querer e seus escritos rupestres para construir hidrelétricas, mesmo estando próximos de ser ligados ao Sistema Nacional de Energia. Projetos absurdos, campanhas publicitárias ilusórias e UM NADA ABSOLUTO de resultados faz-nos perceber que, nunca mais na história deste País, teremos representantes do quilate de Darcy Ribeiro, Ulysses Guimarães ou mesmo do direitão Roberto Campos. Estamos entregues aos canalhas.

terça-feira, 5 de novembro de 2013

Capitalismo

A religião do capitalismo sobrevive à base de sofismas e de especulação porque esta é sua natureza. Apresentar a queda da URSS e a lista da Forbes como evidências de sucesso, mas é falsa a promessa de que todos podem chegar lá, basta CRER. Como qualquer religião, mantém os áulicos em cabresto mental e confia na destruição de alternativas para sua consolidação. São torcedores zoando um adversário em desvantagem, sem conhecer os minutos finais do jogo.

A exploração infinita de recursos limitados, a acumulação desnecessária e a burrice inerente a ela fazem do capitalismo uma gordura existencial, mas também cognitiva e, finalmente, física. Negar ao mundo mais equilíbrio entre os povos origina a violência urbana, o cinismo da juventude e o terrorismo.

A desigualdade social e política não é natural, não deriva da vontade divina, nem sequer é uma consequência da desigualdade natural entre os homens. Pelo contrário, a sua origem é o resultado da propriedade privada, da apropriação privada da riqueza do mundo inteiro, e dos benefícios privados derivados dessa apropriação."
(Jean-Jacques Rousseau, em Sobre a origem da desigualdade entre os homens)

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

No seu primeiro jogo na NBA, Michael Carter-Williams emplacou 22 pontos, 12 assistências, 9 roubos e 7 rebotes. O 76ers acaba de criar um monstro.

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Leia a entrevista do sociólogo português Boaventura de Sousa Santos: "Não acredito que haja equilíbrio entre democracia e capitalismo. Não haverá sociedade democrática enquanto houver capitalismo. O que se pode tentar é limitar o poder do capitalismo, com uma democracia mais robusta, que possa segurar o avanço do capitalismo até que o socialismo volte à agenda política.."; na íntegra no site da Caros Amigos: http://bit.ly/19XmypO


terça-feira, 29 de outubro de 2013

Shows que gostaria de ter visto: Qualquer um do Zeppelin em 1969; Miles Davis(de preferência com Herbie Hancock, Wayne Shorter, Ron Carter e Tony Williams em Estocolmo ali por 1963) e Zé Ramalho & Sepultura.

sábado, 26 de outubro de 2013

Um conto curto

Sonhava trabalhar na Der Spiegel, mas não falava alemão. Hoje vende salsichas com temperos especiais na Neumann Straße, indiferente à crise econômica e aos jovens de cabeça raspada que chegaram de repente.
Sonhava trabalhar na Der Spiegel, mas não falava alemão. Hoje vende salsichas com temperos especiais na Neumann Straße, indiferente à crise econômica e aos jovens de cabeça raspada que chegaram de repente.

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Depois de ser considerada a mais lenta do Brasil, a Justiça de Roraima pediu um prazo para dar explicações.
Depois de ser considerada a mais lenta do Brasil, a Justiça de Roraima pediu um prazo para dar explicações.

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Depois de ser considerada a mais lenta do Brasil, a Justiça de Roraima pediu um prazo para dar explicações.

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

- Cadê sua foto de criança no perfil do Facebook?
- Humpf, responde Benjamim Button.

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Perder ovelhas é a maior tristeza do manipulador. Perder terreno, a do opressor. Já o mitômano, acuado no topo das mentiras que constituem sua trajetória, teme perder a credibilidade que nunca teve. A mentira tem pernas curtas. E uma barriga enorme.

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Perder ovelhas é a maior tristeza do manipulador. Perder terreno, a do opressor. Já o mitômano, acuado no topo das mentiras que constituem sua trajetória, teme perder a credibilidade que nunca teve. A mentira tem pernas curtas. E uma barriga enorme.

sábado, 24 de agosto de 2013

Brasil, ano 2013. Hum milhão de estudantes com financiamento público sobreinvestem impostos no ensino superior privado, enquanto nas universidades públicas investe-se demais em pesquisas para as indústrias química, farmacêutica e em projetos casuísticos dos dinossauros da academia. 

John Keynes já dizia que a crise do capitalismo é essencialmente uma questão de investimento. Se governos capitalistas ditos de esquerda adotassem um plano racional de longo prazo, relacionando o aumento da capacidade de produção ao uso de energia limpa e redução do custo tecnológico, talvez tivéssemos mais investimento em educação pública de qualidade.

Mas as decisões de investir, segundo Keynes, NÃO SEGUEM NENHUM PLANO RACIONAL. Não haveria crise se os empreendedores continuassem a investir. O problema vem de um subinvestimento privado e público. É quando percebemos que não há governos capitalistas de esquerda. Apenas governos capitalistas. E Keynes, Karl Marx e o Cacique Seattle são incapazes de educar nossos representantes.

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Brasil, ano 2013. Hum milhão de estudantes com financiamento público sobreinvestem impostos no ensino superior privado, enquanto nas universidades públicas investe-se demais em pesquisas para as indústrias química, farmacêutica e em projetos casuísticos dos dinossauros da academia.

John Keynes já dizia que a crise do capitalismo é essencialmente uma questão de investimento. Se governos capitalistas ditos de esquerda adotassem um plano racional de longo prazo, relacionando o aumento da capacidade de produção ao uso de energia limpa e redução do custo tecnológico, talvez tivéssemos mais investimento em educação pública de qualidade.

Mas as decisões de investir, segundo Keynes, NÃO SEGUEM NENHUM PLANO RACIONAL. Não haveria crise se os empreendedores continuassem a investir. O problema vem de um subinvestimento privado e público. É quando percebemos que não há governos capitalistas de esquerda. Apenas governos capitalistas. E Keynes, Karl Marx e o Cacique Seattle são incapazes de educar nossos representantes.

sexta-feira, 21 de junho de 2013

A quadrilha mais perigosa não está nas ruas vandalizando o patrimônio público. Está na mídia vandalizando sua cabeça. Gente como Olavo de Carvalho, Reinaldo Azevedo, Luiz Pondé e outros niilistas de direita querem entortar seu pensamento e determinar para onde segue a onda. Os cães de guarda do fascismo querem a ditadura para finalmente ter a quem puxar saco. Não prosperarão. Focinheira neles.

quarta-feira, 19 de junho de 2013

O Brasil é lindo, mas o povo brasileiro sempre me pareceu um coletivo esquizofrênico, ao mesmo tempo cruel e bovino. Gente que elege Maluf, Afanásio, Anchieta e pastores loucos; que transforma rio em esgoto e joga lixo da janela do carro não é exatamente um ideal de sociedade. Mas nos últimos dias, assaltado por um orgulho inédito, o povo começa a entender o conceito de nação. Nas passeatas, professores e jornalistas protestam contra a PEC 37, que limita o poder de investigação do Ministério Público. Jovens despertam do sonho do ópio do consumo e defendem uma sociedade menos corrupta. Mães levam filhos pra ensinar-lhes desde cedo que direitos sociais precisam estar acima das conveniências do poder. A nação brasileira é este monstro na rua, formado por brancos, pretos e índios, patricinhas, gays, funcionários públicos, estudantes, aposentados, prostitutas, religiosos e telespectadores. Um monstro que surge nos subterrâneos e faz milhares de desconhecidos cantarem juntos o Hino Nacional no metrô. Brasileiros com muito orgulho, com muito amor.

segunda-feira, 17 de junho de 2013

terça-feira, 21 de maio de 2013

O ministro do STF, Joaquim Barbosa, em conversa com acadêmicos, disse que no Brasil há partidos políticos "de mentirinha", sem nenhuma consistência ideológica que disputam o poder pelo poder e que o Legislativo obedece prioritariamente à pauta do Executivo, votando as matérias do seu interesse.

A reação do Congresso foi imediata, mas não responde às verdades proferidas pelo ministro. O Brasil É SIM, um país sobrecarregado de partidos sem orientação político-ideológica. Por aqui, o PC do B não é comunista; o Partido Verde não é ambientalista; a Rede é evangélica e há partidos deslaicizantemente inconstitucionais como os Democrata Cristão e Social Cristão. Além disso, como pode ser aceita a existência de um partido que é, ao mesmo tempo, Social e Liberal?

Os brasileiros não votam em partidos, mas em pessoas. Não pensam ideologicamente, mas com o fígado e o cartão do Bolsa Família. Por incrível que pareça, o único partido que faz jus à sua ideologia de direita é o DEM. Provando que neste país, a coerência vem de onde menos se espera.

terça-feira, 23 de abril de 2013

A redes de comunicação contemporâneas confundem o conceito clássico de zeitgeist. Uma época que coincide com o fim da criação e o início do longo e tenebroso período da resignificação, este talento nato dos manipuladores. Esta nova idade das trevas é um mistério futuro. Na época medieval, tivemos o Renascimento. E agora?

quinta-feira, 7 de março de 2013

Jornalistas, temos muitos. O que falta é repórter. Profissão em crise que não se auto-avalia, corre o risco de desaparecer. Só seremos importantes à medida em que nos fizermos assim. O jormalismo engendra a democracia. Agora precisa engendrar a nova cidadania.

segunda-feira, 4 de março de 2013

O duplipensar de Orwell soa otimista demais na Matrix Brasil. É etimologicamente deslocado e morfologicamente equivocado. Não é duplo, mas multi. E não é pensar, mas um agir  fórmico.

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013


Hatfields & McCoys, a série sobre uma guerra entre famílias que realmente aconteceu no século 19, é um primor em fotografia, roteiro e direção de arte, embora o verdadeiro Anse "Devil" Hatfield se pareça mais com Harry Dean Stanton que Kevin Costner.

Mas quando o assunto é interpretação, as cusparadas de Costner e Bill Paxton não se comparam ao brilhantismo pungente de Mare Winningham, a melhor atriz da geração brat pack.

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

A Mostra Canta Roraima VII virou CD pelo SESC e novamente traz uma maioria de trabalhos ligados à bodemusic e ao sub-gênero regiobodemusic, com sutis toques de ornitobodemusic e gastrobodemusic.

As belas vozes de Alessandra Denz (segura, pronta para interpretar e produzir standards) e Janio Tavares (voz andrógina, timbres inesperados) são os destaques da produção, assim como o blues ácido-filosófico de Jediael Roraima. Luís Campos canta bem, mas não se emascula o suficiente para interpretar o poema lúbrico da precoce Odara Rufino.

Estradas, a road music de Zanny Adairalba cantada em tom muito alto por Cláudia Lima, foi   prejudicada pelo arranjo over. Merece nova produção em estúdio. Aliás, a poluição sonora ocorre em boa parte das faixas: teclados medíocres preenchendo silêncios necessários, percussão ansiosa e violoncelos deslocados realçam a pobreza musical dos arranjadores.

As coisas mudaram, Morrissey. Agora é “hang the producer”.

Dia da Europa. Uma embarcação com 400 pessoas, refugiados sírios, tenta chegar à costa italiana. A gravação com vozes desesperadas, via rá...