Mostrando postagens com marcador música. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador música. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Aquele disco do Supertramp

Ouvi tantas vezes o Paris do Supertramp, que lembro de gritos da plateia. Um dos grandes discos de rock gravados ao vivo, com versões definitivas de Hide in your shell e Logical Song. Para minha surpresa, foi inteiramente filmado. Reza a lenda que Roger Hodgson reprovou o trabalho feito por um realizador da BBC. Muitos anos depois as imagens e o áudio original foram encontradas num depósito empoeirado na fazenda do baterista Bob Siebenberg. Transformado em Blu-ray em 2012, o vídeo contém versões de Goodbye Stranger e Breakfast in America ausentes do disco duplo de 1980. Agora esta preciosidade pode ser apreciada no Youtube.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

sexta-feira, 8 de abril de 2016

Virou a esquina da
Sete de Abril
e sumiu
disse que
tinha que ir embora
do Brasil
que não queria mais
ter que pagar
pra respirar.


Uma letra que comecei a escrever em São Paulo há muito anos. Como outras, é devir.

quarta-feira, 28 de maio de 2014

Military Madness

'E depois que as guerras tiverem terminado, e a contagem dos corpos estiver organizada, eu espero que o Homem descubra o que está tornando as pessoas selvagens'.


Military Madness - Graham Nash

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Güíria - A estrada para Macuro é apenas licenca poética dos mapas. Barcos fazem o transporte costeando o Atlântico venezuelano, mas lembram a inseguranca dos que fazem a travessia de Corriverton a Nieuw Nickerie. Acabei em Güíria, damned fucking town of broken promises. Volto aqui depois de 15 anos e tudo continua igual. Hibridismo caribenho embalado ao ritmo da soca que vem da vizinha Trinidad e Tobago.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Li Led Zeppelin: Quando os gigantes caminhavam sobre a Terra, de Mick Wall


Mick Wall conta quase tudo (afinal há coisas que não pôde testemunhar e nem lhe contaram depois) sobre o Led Zeppelin. A biografia não-autorizada da maior banda de rock de todos os tempos é repleta de referências musicais e literárias, ocultismo e savoir-vivre. Acompanha desde o surgimento do projeto ainda na seminal banda Yardbirds (por onde passaram simplesmente Brian Jones, Eric Clapton Jeff Beck e Jimmy Page) ao auge do sucesso e à decadência inevitável de um projeto ambicioso e de sucesso indiscutível.

São especialmente interessantes as narrativas em primeira pessoa, espécie de fluxo de consciência onde os quatro músicos e o empresário Peter Grant contam as próprias histórias num modelo de escrita muito pessoal do jornalista inglês especializado em música. Ensina, por exemplo, que a pronúncia galesa de Bron-Yr-Aur é “bron-raaar”. Mas, claro, se você não conhece Led Zeppelin, isso não terá a menor importância.

Livro: Led Zeppelin: Quando os gigantes caminhavam sobre a Terra
Autor: Mick Wall
Editora: Larousse
Ano: 2010
Páginas: 549
Preço: R$ 86,00

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Li Vida, de Keith Richards

Boa Vista - Na melhor biografia de rockstar dos últimos tempos, Keith Richards devassa o processo criativo com a afinação aberta em guitarras de cinco cordas, fala sobre troca de sangue, cheirar as cinzas do pai e outros mitos, além do papel dos estupefacientes na criação artística, acidentes domésticos e infernos particulares.

A conturbada relação dos glimmer twins é revista, de forma seca a implacável, como a introdução de Rocks off. Mas nada das farpas típicas trocadas pela dupla mais jurássica do rock nos anos 90. Keith Richards e sua saúde de ferro ensinam a roqueiros de boutique que todo buraco é mais embaixo. Que música é sacerdócio.

Com 50 anos de carreira (artística, a outra ele deixou há alguns anos), o velho roqueiro continua a ser um heróico anti-herói.


Livro: Vida
Autor: Keith Richards
Editora: Globo
Preço: R$ 52,00

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Benício e o MC


Boa Vista - Volta à baila a capa do disco do Erasmo Carlos que vi quando criança, que teria me causado susto e asco e fixação e pesadelos intermitentes e processos arcaicos e sociopatia e internação, caso eu não fosse o típico garoto destemido, construtor de estradas e astronauta, amigo de dragões, homúnculos e gigantes.


O tema foi criado para o álbum Amar para viver ou morrer de amor (1982) pelo ilustrador Benício, hoje com 74 anos. Autor de ilustrações e cartazes de cinema como estes aí do lado,  Benício quer processar por plágio o MC Morlockk Dilemma, um alemão que parece um mix de Phil Collins e Dave Matthews. O trabalho de Benício é bem melhor. A programação visual também. 

terça-feira, 15 de junho de 2010

Brilhar a minha estrela 
(Sangue da Cidade)

O mais importante prum guerreiro
é simplesmente a vontade de viver,
sem parar prá pensar nos momentos que virão.
Ele sabe o que quer, sabe o que é 
conhece o caminho 
é o dono da sua verdade, do seu destino.

Dá mais um, lembrar de tudo isso.
Dá mais um, pensar no que é bonito.

Dá mais um, em frente na certeza.
Dá mais um, brilhar a minha estrela.
Dá mais um

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Expedição musical à terra de Makunaima

O jornalista, DJ, multimídia e agitador cultural Israel do Vale escreveu um belo texto sobre Roraima, sua música, sua gente, sua cultura.

Em "Expedição musical à terra de Makunaima", Israel dá uma lição de observação jornalística, apesar de sua curta passagem por aqui.

Imperdível para qualquer culturatti interessado em música "fora do eixo". Leia aqui.

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Uma canção

Once in a lifetime
Talking Heads


You may find yourself living in a shotgun shack
You may find yourself in another part of the world
You may find yourself behind the wheel of a large automobile
You may find yourself in a beautiful house with a beautiful wife
You may ask yourself, well, how did I get here?

Letting the days go by, let the water hold me down
Letting the days go by, water flowing underground
Into the blue again after the money's gone
Once in a lifetime, water flowing underground

You may ask yourself, how do I work this?
You may ask yourself, where is that large automobile?
You may tell yourself, this is not my beautiful house
You may tell yourself, this is not my beautiful wife

Same as it ever was, same as it ever was, same as it ever was, same as it ever wasSame as it ever was, same as it ever was, same as it ever was, same as it ever was

Water dissolving and water removing
There is water at the bottom of the ocean
Remove the water, carry the water
Remove the water from the bottom of the ocean

Letting the days go by, let the water hold me down
Letting the days go by, water flowing underground
Into the blue again, after the money's gone
Once in a lifetime, water flowing underground
Into the blue again, into silent water
Under the rocks and stones, there is water underground

Letting the days go by, into silent water
Once in a lifetime, water flowing underground
You may ask yourself, what is that beautiful house?
You may ask yourself, where does that highway lead to?
You may ask yourself, am I right, am I wrong?
You may say to yourself, my god, what have I done?

Letting the days go by, let the water hold me down
Letting the days go by, water flowing underground
Into the blue again, after the money's gone
Once in a lifetime, water flowing underground
Into the blue again, into silent water
Under the rocks and stones, there is water underground

Letting the days go by, into silent water
Once in a lifetime, water flowing underground
Same as it ever was, same as it ever was, same as it ever was, same as it ever was
Same as it ever was, same as it ever was, same as it ever was, same as it ever was

Time isn't holding us, time isn't after us
Time isn't holding us, time doesn't hold you back
Time isn't holding us, time isn't after us
Time isn't holding us...
Letting the days go by, letting the days go by, letting the days go by, once in a lifetime

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Uma canção

Chocolate Jesus
Tom Waits

Don't go to church on Sunday
Don't get on my knees to pray
Don't memorize the books of the Bible
I got my own special way
I know Jesus loves me
Maybe just a little bit more
I fall down on my knees every Sunday
At Zerelda Lee's candy store
Well it's got to be a chocolate Jesus
Make me feel good inside
Got to be a chocolate Jesus
Keep me satisfied
Well I don't want no Abba Zabba
Don't want no Almond Joy
There ain't nothing better
Suitable for this boy
Well it's the only thing
That can pick me up
Better than a cup of gold
See only a chocolate Jesus
Can satisfy my soul
(Solo)
When the weather gets rough
And it's whiskey in the shade
It's best to wrap your savior
Up in cellophane
He flows like the big muddy
But that's ok
Pour him over ice cream
For a nice parfait
Well it's got to be a chocolate Jesus
Good enough for me
Got to be a chocolate Jesus
Good enough for me
Well it's got to be a chocolate Jesus
Make me feel good inside
Got to be a chocolate Jesus
Keep me satisfied

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Uma canção

Light and day
(Polyphonic Spree)

Light and day
is more than you'll say
cus all
my feelings are more
than i can let by
or not
more than you've got

just follow the day
follow the day and reach for the sun!

you don't see me flyin to the red
one more you're done
just follow the seasons and find the time
reach for the bright side
you don't see me flyin to the red
one more you're nuts

just follow the day
follow the day and reach for the sun

just follow the day
follow the day and reach for the

you don't see me flyin to the red
one more you're nuts
just follow the seasons and find the time
reach for the bright side
you don't see me flyin to the red
one more you're nuts

just follow the day
follow the day and reach for the sun!

just follow the day
follow the day and reach for the sun!

just follow the day
follow the day and reach for the sun!

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Brevissima Enciclopaedia do Rock Roraima

Boa Vista -

Veludo Branco faz uma garagem entulhada de velhos amplificadores Marshall e garrafas vazias de Jak Daniel's um lugar mais aprazível.






Mr. Jungle faz hard rock como nos velhos tempos.



ALT-F4: Molecada cheia de punch. Eles querem ser Batman.



A longeva banda Garden faz rock n' roll sério e bem produzido e flerta, sem medo, com o temível regionalismo.


terça-feira, 16 de setembro de 2008

Richard Wright

Morreu ontem um dos maiores tecladistas do Rock. Richard Wright nasceu em 28 de Julho de 1943. Integrou o Pink Floyd em todas as suas fases e compôs músicas como Summer  '68 e Remember a day. Climas únicos, que nunca mais serão reproduzidos da mesma forma.

sábado, 16 de agosto de 2008

Leio Jazz - Das Raízes ao pós-bop, de Augusto Pellegrini

Boa Vista - Não, não foi a banda Calypso que revolucionou o cenário artístico mundial. Foi o jazz. Neste passeio pelas origens da nobre arte, Augusto Pellegrini volta ao início do século XX e conta as origens, a evolução e as transformações da música que reúne virtuose e improviso, cidade e campo, guerra e paz. O autor é, há mais de 20 anos, produtor e apresentador de programas de jazz em emissoras de rádio de São Luís do Maranhão.

Se você não conhece Charlie Parker, Dizzy Gillespie, Miles Davis, Louis Armstrong, Duke Ellington, Benny Goodman, Dave Brubeck e Chet Baker, entre outros, faça um esforço e compre o livro, que é quase didático. Depois agradeça aos deuses do Jazz e comece a ouvir música de verdade ao invés de Jota Quest, CPM22, NX Zero, Rabo de Vaca e outras coisas de nomes inspirados em placa de carro, animais peçonhentos e mulheres mal-batizadas.

Livro: Jazz - Das Raízes ao pós-bop
Autor:
Augusto Pellegrini
Editora: Record
Páginas: 400
Valor: R$ 49,00

domingo, 11 de maio de 2008

Leio Jimi Hendrix, de Sharon Lawrence

Boa Vista - A jornalista Sharon Lawrence foi amiga de Jimi Hendrix e só finalizou este livro há pouco mais de dois anos.

Foi acusada de "puxar o saco" do músico por causa de sua ligação afetiva com ele, mas isso é coisa de crítico invejoso.

Lawrence consegue reconstituir a história do maior dos guitarristas desde a infância conturbada, a vida no exército e os primeiros trabalhos como músico profissional.

"Lenda" é o termo mais adequado para definir James Marshall Hendrix, o guitarrista mestiço de negros e índios nascido em Seattle que alterou para sempre o jeito de tocar (e ouvir) guitarra elétrica.

Dono de uma técnica muito pessoal, o mestre era amante de BBB: Bob Dylan, Beatles e Blues (pensou ontra coisa?).

Se estivesse vivo, muita gente penduraria a guitarra e talvez não fôssemos obrigados a ouvir Yngwie Malmsteen e outros chatos que confundem velocidade com criatividade.

Livro: Jimi Hendrix - A dramática história de uma lenda do rock
Autor: Sharon Lawrence
Editora: Jorge Zahar
Páginas: 356
Valor: R$ 29,90

quinta-feira, 20 de setembro de 2007

Duas canções

O Vento

(Rodrigo Amarante)

Posso ouvir o vento passar, assistir à onda bater
mas o estrago que faz a vida é curta pra ver
Eu pensei que quando morrer
vou acordar para o tempo e para o tempo parar
um século, um mês, três vidas e mais um passo pra trás
Por que será? Vou pensar
Como pode alguém sonhar o que é impossível saber
Não te dizer o que eu penso já é pensar em dizer
e isso, eu vi, o vento leva
Não sei mais, sinto que é como sonhar
e o esforço pra lembrar é a vontade de esquecer
E isso porque diz mais!
Uh... Se a gente já não sabe mais
rir um do outro meu bem, então o que resta é chorar
e talvez, se tem que durar, vem renascido o amor bento de lágrimas
um século, três, se as vidas atrás são parte de nós
E como será?
O vento vai dizer, lento, o que virá
e se chover demais, a gente vai saber, claro que um trovão
se alguém depois sorrir em paz
só de encontrar


Slideshow
(Rufus Wainwright)

Do I love you because you treat me so indifferently?
Or is it the medication? Or is it me?
Do I love you because you don't want me to rub your back?
Or is it the medication? Or is it you? Or is it true?
And I better be prominently featured in your next slideshow
Because I paid a lot of money to get you over here, you know?
And if I am not prominently featured in your next slideshow
I don't know what I'm gonna do
Do I love you, or is this feeling just a little pain?
A treasure chest is broken easily open
And usually I am such a happy prince
Behind the iron curtain, the city walls a solid prison
And I better be prominently featured in your next slideshow
'Cause I paid a lot of money to get you over here, you know?
And if I am not prominently featured in your next slideshow
I don't know what I'm gonna do!Do I love you?Do I love you?Yes I do
Do I love you?
Yes I do


quarta-feira, 8 de agosto de 2007

Na vitrola

Peter, Bjorn and Paul

Supercordas

Silversun Pickups

Feist

e o novo do Arcade Fire.

6 comentaram


“As grandes descobertas ocorrem quando subitamente o possível encontra o desesperadamente necessário.” (Thomas Friedman - New York Times...