sábado, 25 de fevereiro de 2017

Este blogue está há 16 anos em atividade neste endereço. Desde então, o Google comprou um projeto genuíno e o abandonou com uma interface péssima. Eliminou todos os gadgets livres que faziam contagem e a geografia do e-pístolas, que já foi lido em mais de 100 países. Facebook e sua facilidade de publicar tornou esta plataforma obsoleta e causou a própria obsolescência. Twitter? Nop. Até breve. Pedra que não rola, cria limo. 

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Da arte da trapaça

Bryan Cranston conseguiu fazer de Sneaky Pete (Amazon) um sucesso à altura de Breaking Bad. Séries como Game of Thrones marcam por serem produções grandiosas. Mas não há figurino ou grande incêndio que me conquiste mais que um bom roteiro. Coisa de leitor.

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Aquele disco do Supertramp


Ouvi tantas vezes o Paris do Supertramp, que até lembro dos gritos da plateia. Um dos grandes discos de rock gravados ao vivo, com versões definitivas de Hide in your shell e Logical Song. Para minha surpresa, foi inteiramente filmado. Reza a lenda que Roger Hodgson reprovou o trabalho feito por um realizador da BBC. Muitos anos depois as imagens e o áudio original foram encontradas num depósito empoeirado na fazenda do baterista Bob Siebenberg. Transformado em Blu-ray em 2012, o vídeo contém versões de Goodbye Stranger e Breakfast in America ausentes do disco duplo de 1980. Agora esta preciosidade pode ser apreciada no Youtube.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Resultado de imagem para bertrand russell
"Nos homens e nas  mulheres comuns há uma certa quantidade de ativa maldade, sob forma de uma má vontade dirigida contra possíveis inimigos e de satisfação espontânea perante o mal alheio. Habitualmente, isso é simulado sob a capa de frases amáveis - metade da moral convencional não passa de uma máscara. É necessário tomar plena consciência de tal fato se se pretende realizar a finalidade da moral: melhorar a nossa conduta. A maldade revela-se de mil maneiras, umas importantes, outras insignifcantes: na satisfação manifestada pelos que propalam e acreditam no escândalo; no modo deplorável como se tratam os criminosos, quando se sabe que um melhor tratamento seria mais benéfico à sua reabilitação; no barbarismo incrível com que os negros são tratados pelos brancos. Essa maldade ativa é um dos aspectos mais desagradáveis da natureza humana, que se torna necessário modificar para tornar o mundo mais feliz. É verossímil que ela represente uma das causas mais vulgares da guerra, sobrepondo-se à conjugação das razões económicas e políticas." 
(Bertrand Russel, filósofo galês.)

Este blogue está há 16 anos em atividade neste endereço. Desde então, o Google comprou um projeto genuíno e o abandonou com uma  interface ...