Mostrando postagens com marcador Reuni. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Reuni. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014


Todos queremos mais médicos e mais escolas, mas quantidade não implica em qualidade. Construir prédios sem dotá-los de laboratórios e condições de trabalho; ampliar o número de salas de aula sem ampliar o de professores e manter os professores atuais desmotivados e sem carreira demonstram que a propaganda é forte, mas as ações, pífias. Além de inchar as universidades federais e transferir dinheiro público para as privadas (reuni e prouni), o governo do PT mantém aliança com os setores mais retrógrados da sociedade brasileira (Sarney, por exemplo) e age com subserviência ao capital transnacional, como é o caso da General Motors. E como definir a entrega do pré-sal à Shell e à Exxon além de pura e simples privatização? Discursos quantitativistas governistas a gente vê por aqui. O PT nunca imaginou que a sociedade brasileira fosse dar o grito de liberdade. E tratar a grita do povo decepcionado como mugido, latido não é apenas mal-educado, mas típico de quem vive no tempo em que os animais falavam.

Os professores foram à greve em 2012. O povo saiu às ruas em 2013. Não vai ser nessa mesma toada que as coisas vão se acalmar em 2014. Hoje FHC está à esquerda de Dilma. Quem diria. 

“As grandes descobertas ocorrem quando subitamente o possível encontra o desesperadamente necessário.” (Thomas Friedman - New York Times...