sexta-feira, 21 de junho de 2013

A quadrilha mais perigosa não está nas ruas vandalizando o patrimônio público. Está na mídia vandalizando sua cabeça. Gente como Olavo de Carvalho, Reinaldo Azevedo, Luiz Pondé e outros niilistas de direita querem entortar seu pensamento e determinar para onde segue a onda. Os cães de guarda do fascismo querem a ditadura para finalmente ter a quem puxar saco. Não prosperarão. Focinheira neles.

quarta-feira, 19 de junho de 2013

O Brasil é lindo, mas o povo brasileiro sempre me pareceu um coletivo esquizofrênico, ao mesmo tempo cruel e bovino. Gente que elege Maluf, Afanásio, Anchieta e pastores loucos; que transforma rio em esgoto e joga lixo da janela do carro não é exatamente um ideal de sociedade. Mas nos últimos dias, assaltado por um orgulho inédito, o povo começa a entender o conceito de nação. Nas passeatas, professores e jornalistas protestam contra a PEC 37, que limita o poder de investigação do Ministério Público. Jovens despertam do sonho do ópio do consumo e defendem uma sociedade menos corrupta. Mães levam filhos pra ensinar-lhes desde cedo que direitos sociais precisam estar acima das conveniências do poder. A nação brasileira é este monstro na rua, formado por brancos, pretos e índios, patricinhas, gays, funcionários públicos, estudantes, aposentados, prostitutas, religiosos e telespectadores. Um monstro que surge nos subterrâneos e faz milhares de desconhecidos cantarem juntos o Hino Nacional no metrô. Brasileiros com muito orgulho, com muito amor.

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Dia da Europa. Uma embarcação com 400 pessoas, refugiados sírios, tenta chegar à costa italiana. A gravação com vozes desesperadas, via rá...